Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Divirta-se [CULTURA E LAZER]
O Distrito de Castelo Branco aos olhos de Nunca Paras Quieta

Cada vez que pensamos neste distrito o nosso coração palpita tão rápido quanto a nossa vontade de o explorar. Foi aqui que nos conhecemos e que nasceu o nosso blog. Sim, Idanha-a-Nova é o berço do Nunca Paras Quieta. Também foi aqui que a Soraia nasceu, a Catarina cresceu, a Mónica se formou e a Cláudia se apaixonou. Por isso já imaginam as nossas ligações ternurentas a este pedaço de terra bem português não já? Muitas são as pessoas que nos perguntam o que ver aqui deste lado de Portugal, o que fazer aqui neste interior ainda pouco turístico e o que comer aqui nesta pérola gastronómica. E não há algo que nos torne mais felizes que partilhar o nosso berço com quem o quer conhecer. Para a Soraia, o distrito de Castelo Branco é o seu cantinho de desassossego. Sim leram bem! Ela desassossega-se por aqui porque não consegue parar quieta em casa. E quando não anda com bilhetes de avião na mão e o passaporte na outra, anda de mochila às costas e drone no ar a explorar tesouros desta zona. (Que vao ser revelados ao longo deste ano no blog). Para a Catarina, Castelo Branco significa “Lar, doce lar”. Com apenas dez anos, a Catarina mudou-se de Lisboa para a Beira Baixa, onde então criou as suas “histórias de vida”. Aqui cresceu, estudou e fez os melhores amigos para a vida. Agora, em Londres, a Catarina tem este lugar sempre bem junto ao coração. Para a Cláudia, este é aquele cantinho do país que lhe roubou o coração e o seu escape ao stress de Lisboa. Se há região com que se identifica é esta! Sendo um “bicho da natureza”, aqui consegue encontrar a sua paz a explorar os trilhos e as vilas, e consegue encontrar a tranquilidade e alegria. É também aqui que enche a barriguinha com os vinhos, queijos e especialidades da beira. E sempre que pode, pega na sua mochila e foge para aqui, para o coração da Beira Baixa. Para a Mónica, o distrito de Castelo Branco, é a sua segunda casa. Foi Idanha-a-Nova, que a acolheu durante a sua vida académica e a qual terá para sempre um cantinho guardado no seu coração. É aqui que consegue recarregar baterias e quando tem oportunidade, deixa o seu alentejo e volta para matar saudades dos locais onde foi muito feliz. As suas gentes acolhedoras e de sorrisos rasgados fazem desta uma região única. Mas, para nós, inquietas, isto é o verdadeiro paraíso da gastronomia, da descoberta e da natureza. Desde as praias fluviais de Proença-a-Nova, à barragem do Trizio na Sertã. Desde as ruínas de Monsanto à cidade de Castelo Branco. Dos fósseis de Penha Garcia aos linces da Serra da Malcata. Do Queijo da Serra aos Maranhos da Sertã. Das adufeiras de Idanha aos ranchos folclóricos de Silvares. Da água gelada de Oleiros ás suas famosas adegas que aquecem corações. Das aldeias de xisto ao ouro das portas de Almourão. E claro, Sem nunca esquecer a cereja no topo do bolo, a cereja do Fundão. Se nos perguntarem: “em Portugal o que nos aconselhavam a visitar?” Nós de certeza diríamos: “o nosso berço! o distrito de Castelo Branco.”

www.nuncaparasquieta.com

* website de viagens gratuito que compara milhões de voos, hotéis e aluguer de automóveis.

     

 

Nunca paras quieta